Página Inicial

English (United Kingdom)

 

Morada:
Centro de Estudos Anglísticos da Universidade de Lisboa (CEAUL)
Alameda da Universidade - Faculdade de Letras
1600-214 Lisboa
Portugal

Horário de atendimento:
2ª a 6ª-feira,

10h00 às 17h00

Email:
centro.ang@letras.ulisboa.pt 

facebook

Telefone:
(00351) 21 792 00 92

 

FCT_V_cor



 

 

FLUL

logo

Convite Projecto Narrativa e Medicina - Brian Hurwitz

CONTAR QUE TIPO DE NARRATIVA É O RELATÓRIO DE CASO CLÍNICO?
Brian Hurwitz

Data: 15 Dezembro 2011 | 17h
Local: Centro de Saúde de Sete Rios
Organização: CEAUL / CFL / CHL / CBAS


No cerne da prática médica encontra-se uma formulação discursiva que problematiza e perscruta algo de importante sobre um indivíduo. O relatório de caso clínico emerge das consultas e oferece a possibilidade, a um público distante que nunca o irá ver, de ouvir ou conhecer o doente, numa exposição exemplar do pensamento clínico sobre a respectiva situação médica. Será a noção do caso que precedea do relatório médico ou a apreensão e classificação de casos encontram-se tão ligadas à discussão e comparação de caracterizações que as ideias de caso e relatório de caso clínico podem fundir-se, como sendo uma e a mesma coisa?

Os relatórios médicos são discursos de apresentação e de comunicação que expõem uma espécie de retrato linguístico a uma audiência. Tais retratos não devem limitar-se a integrar elementos descritivos ou observacionais (incluindo os oferecidos pelos próprios doentes) que abranjam elementos reconhecíveis do doente em análise; devem também conter referências taxonómicas para o que exige esclarecimento quer a nível fisiológico quer patológico. Assim, ao conceber um relatório de caso clínico, o médico-narrador vai alternando o foco da sua atenção, entre uma pessoa, por um lado, e um corpo ou psique, por outro, e entre um corpo e o exame duma parte desse corpo, concentrando-se ora num sistema biológico, ora na análise dos processos fisiológicos e patológicos.

Por um lado, o relatório médico pode ser visto como um tipo de narrativa – uma “história utilizável” sobre um episódio ou uma ocorrência na vida de uma pessoa, construída a partir do ponto de vista médico, que entra em relação com outras práticas de escrita centradas na perscrutação. Por outro lado, pode ser entendido como uma avaliação e uma representação – e em parte uma construção – de um modelo virtual dos fenómenos sob escrutínio, constituído por partes do corpo, mecanismos patológicos e processos psicológicos, e montado a partir de testemunhos, observações, exames, scannings e medições. Deste modo, o caso clínico moderno não é relatado apenas por meio de palavras, mas também por meio de fórmulas, de números, de gráficos e de imagens, assumindo, por isso, uma forma reminiscente tanto do relatório científico como da narrativa.

Brian Hurwitz é médico e Director do Centro de Humanidades e Saúde, no King’s College. Os seus interesses de investigação incluem os estudos de narrativa e de medicina clínica, ética, direito, e o diálogo entre as disciplinas das artes, das humanidades e da medicina. É membro do Conselho Editorial dos seguintes periódicos científicos: Journal of Evaluation in Clinical Practice, Chronic Illness e Clinical Medicine, e autor de diversos ensaios sobre questões de narrativa e prática clínica. Publicou os livros Narrative-Based Medicine: Dialogue and Discourse in Clinical Practice (1998), Narrative Research in Health and Illness (2004) e Health Care Errors and Patient Safety (2009).

O projecto Narrativa e Medicina pretende explorar as intersecções entre as Humanidades e a Medicina, nas relações terapêuticas com os pacientes, por meio de um grupo interdisciplinar constituído por investigadores do Centro de Estudos Anglísticos e Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, do Centro de História da Cultura da Universidade Nova de Lisboa e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. O Ciclo de Conferências 2011destina-se à formação de profissionais de saúde e investigadores em Humanidades. Participarão reputados especialistas, responsáveis pela implementação de programas semelhantes na Europa e nos EUA, bem como pioneiros na área a nível nacional, em colaboração com o Agrupamento de Centros de Saúde Lisboa-Norte, em cuja sede de Sete-Rios decorrem conferências abertas de Março a Dezembro de 2011.

Os participantes poderão requerer uma pasta com material de apoio (15 €), bem como um certificado (5€ por sessão). Para esclarecimentos, consultarhttp://narrativeandmedicine.blogspot.com ou contactar Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 
Voltar
Topo

Centro de Estudos Anglísticos da Universidade de Lisboa (CEAUL)